A amamentação é um tema muito controverso entre mães e futuras mães. Existem duas opções de amamentação – a leite materno e leite adaptado.
A escolha (sim, porque ao contrário do que é normal pensar, é mesmo uma escolha que é dada às mães) pode ser feita com base em muitos fatores como: estado psicológico da mãe, condição física do bebé, saúde física da mãe. Não é algo tão linear quanto parece, e tende a ser uma espécie de assunto tabu.

Neste artigo iremos abordar os pontos positivos de ambos e mostrar que embora tenham as suas particularidades, proporcionam de igual modo um crescimento saudável e uma relação próxima entre mãe e bebé.

Aleitamento materno:

É recomendado pela OMS e considerado um dos momentos mais bonitos vivido por mães em todo o mundo.

Vantagens

  • O leite materno é considerado o mais saudável e indicado para bebés desde do seu nascimento;
  • Previne infeções, e algumas doenças como diabetes;
  • É económico;
  • Não carece de preparação, o que facilita o momento de amamentação

Posto isto é considerada, geralmente, a melhor opção e (erradamente) ensinado como aquela que irá permitir à criança um crescimento saudável. O leite materno vai adaptando-se ao bebé e vai modificando a sua composição, naturalmente, consoante o crescimento deste.

Claro está, tem também os seus pontos negativos, que não são de todo o objectivo deste artigo, mas que importam ser referidos. Entre os maiores problemas com que as mães se deparam durante o inicio do período de amamentação estão: mamilos gretados, ingurgitamento mamário (que se caracteriza pela tensão, sensação de calor e dor nas mamas e que pode conduzir a febre), mamastite, depressão pós-parto (pode afectar verdadeiramente a pré-disposição da mãe e deve ser encarada como algo importante), dificuldade do bebé em adaptar-se ao peito.
São problemas que por vezes são ultrapassáveis, outra vezes não, mas que não tiram o mérito de boa mãe a nenhuma mulher.

Aleitamento com leite adaptado:

É um dos maiores tabus e erradamente abordado por grande parte dos leigos. Muitas mães que recorrem a esta opção são duramente criticadas e incompreendidas.

O leite adaptado é uma opção a que muitas mães recorrem, mais do que é pensado em primeira estância. Os motivos são diversos e vão desde de motivos de saúde do bebé, à necessidade de trabalhar da mãe ou mesmo questões de saúde da mãe. Este momento é também em todo o seu esplendor um momento muito bonito e de criação de laços entre mãe e bebé.
Apesar de ser preterido pela OMS não significa que não seja saudável de todo, algo que fosse prejudicial ou mesmo fatal a um bebé nunca seria aprovado em laboratório ou cunhado por médicos de todo o mundo (é importante ter isto em mente quando se aborda o assunto).

Vantagens:

  • Providencia energia, hidratação e nutrientes que o bebé necessita, à semelhança do leite materno;
  • É a melhor opção para as mães que tiveram más experiências com a amamentação;
  • Facilidade de controlo de dosagens das refeições;
  • Pode ser preparado por qualquer pessoa em qualquer lado (o que ajuda a aliviar a quantidade de tarefas incumbidas somente às mães);

Claro que não é a mesma coisa que o leite materno e também tens os seus aspectos negativos. A quantidade de açúcar nem sempre é a desejada, e acaba por ser excessiva; muitas crianças sofrem de cólicas quando começam a tomar este tipo de leite; para algumas mães pode tornar-se pouco prático, a quantidade de coisas com que têm que andar carregadas.

Apesar de ser uma opção de aleitamento, não pode ser integralmente comparado com o acto de amamentação e com aquele momento em específico, embora existam formas de contornar e recriar esse elo.

Em suma são duas opções com vantagens e desvantagens. Ser mãe não é fácil, amamentar não é fácil – seja com leite materno ou não. Esta escolha cabe somente à mãe e à vida familiar, profissional que a mesma leva, nunca devendo ser criticada pelos demais.

Ambas as opções permitem a criação de um elo único entre mãe e filho e são momentos que ficaram sempre na memória da mãe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here