Hoje em continuação ao nosso projeto “Ensinando uma Criança a Viver“, uma parceria entre o Blog da Criança, o Clube das Estrelinhas e a Sehiarpo Associação – Pelas crianças do Mundo; trazemos para os nossos leitores mais um bonita história. Ontem falamos sobre o Martim e o Direito de Ser Criança, hoje falaremos sobre o tema racismo.  Espero que apreciem e divulguem entre os seus coleguinhas!

Diga não ao Racismo
Diga não ao Racismo – Imagem Arquivo Pessoal Blog da Criança ©

Passeio de finalistas inter-cultural
Tema: Diga não ao racismo

Olá meninos!!! Eu e a minha gata Micas vamos contar-vos uma aventura passada no último Verão. Chamo-me Mariana tenho 8 anos e frequento um colégio no interior Alentejano que se chama “sementes de liberdade”.

Sementes de liberdade é uma escola diferente, porque não só aprendemos o que todas as outras ensinam mas também temas sociais que afetam e prejudicam o mundo, classe de valores de consciência e muito mais. Neste colégio promovem também o cuidado e o amor por todos os animais, incluindo as mascotes e animais domésticos, que por sinal merecem todo o nosso respeito e carinho. Assim esta escola nos permitem levar para as aulas os nossos animais domésticos, logo a Micas está sempre na minha companhia.

Vivemos e aprendemos juntas em todas as nossas aventuras! Ah! E não posso esquecer que também temos saídas e excursões de grupo para aprender coisas novas. Nessas excursões juntamo-nos frequentemente a outros meninos das diversas escolas de Portugal.

Foi numa destas saídas que começou a aventura que vos vou contar. Quando acaba o período de aulas organizamos sempre uma saída pela natureza para celebrar. Cada ano vamos a um lugar diferente, assim as aventuras são únicas!!

O verão passado foi muito especial, saímos do Alentejo até ao parque natural do Gerês que se situa geograficamente mais a norte de Portugal. Mas está não foi a única surpresa!!! Nesta viagem de final de ano participavam todas as escolas da península ibérica que lecionam segundo os mesmos princípios que a nossa.

Que emoção!!! A Micas e eu guardamos entusiasmo toda a viagem!! À medida que chegávamos eu ficava fascinada com o que observava pela janela, que linda paisagem!! Estava muito calor, um dia ensolarado, viam-se cascatas, fontes, árvores com cores intensas plenas de vida, pássaros….. Até chegar a casa não fui capaz de despegar os meus olhos da janela do autocarro.

– Chegamos!!! – informa a professora Matilde.

Todos nós pegamos as nossas mochilas e começamos a sair do autocarro, mas eu não consegui desviar o olhar daquela magnífica paisagem… No entanto de momento algo desviou a minha atenção.

Meninos, muitos meninos de outras escolas já tinham chegado!! Que curiosidade!!! Tenho muita vontade de conhecê-los, mas que vergonha… E além disso nem todos falam a minha língua e fisicamente são muito diferentes….

– Meninos! Vamos a instalar-nos – disse a professora Matilde interrompendo o meu raciocínio.

A professora agrupou-nos e mostrou-nos a casa onde nós iríamos alojar, esclarecendo as normas de convivência. Matilde explicou-nos que nessa noite haveria um encontro muito especial, onde se juntariam todos os participantes de todas as escolas de forma a conhecermos e a aprendermos reciprocamente.

Está seria a principal finalidade da excursão. Houve alguns meninos da minha escola que ficaram com receio, pois haviam meninos de outras escolas que pareciam diferentes e falavam de forma diferente… Mas para mim foi uma experiência excepcional!!!

Depois de nos instalar-nos, darmos um passeio, e jantar, chegou o momento mais esperado: o encontro.

Dirigimo-nos todos para a área verde que havia entre as casas e sentamos-nos no chão. Os professores permaneceram de pé entre nós, saudaram-se carinhosamente entre eles com abraços. Todos em conjunto explicaram em que consistia a noite e a semana de atividades. Pouco a pouco foram-nos chamando para que nos apresentássemos em voz alta dizendo o nosso nome, nacionalidade e região do pais em que vivíamos. Eu não conseguia parar de ouvir com atenção porque os professores nos mandaram tomar nota dos diferentes países e nacionalidades que ouvíssemos e além disso parecia-me interessante e divertido. Portugal, Espanha, Argentina, Venezuela, Brasil, China, Japão, Marrocos, África, etc, etc, etc.

Vêem!! Que surpreendente!!! Quantos países, verdade??? Pensava, pensava e não podia parar de pensar! Que diferentes somos! Fascinante! Mas nem a todos os meninos lhes fascinou assim!! Alguns faziam caras estranhas quando ouviam os outros meninos falar numa outra língua. A mim parece-me bonito!

Chegou o momento em que todos estávamos apresentados e a professora Júlia do colégio de Espanha junto com a nossa professora Matilde enumeraram todos os países que tinham aparecido nesta reunião. O professor Ricardo que é Chinês em conjunto com a professora Rosa do Brasil fizeram-nos uma apresentação com todas as nossas fotografias.

Que lindo!!!!!

Um grupo de professores dizia a alguns meninos que não deviam fazer caras estranhas nem ver as coisas por esses prisma porque apesar dos diferentes países e nacionalidades, todos éramos crianças e que por isso não devíamos descriminar-nos. A professora Júlia acrescentou dizendo que o fato de sermos diferentes nos torna ricos. E eu perguntei porquê? Ricos? Como?

Ela continuou, reparem…. Pertencer a um grupo tão variado torna-nos ricos em cultura, porque cada um de nós possui hábitos e tradições diferentes, todas cheias de riqueza e história. Entre vós podeis aprender e adquirir conhecimentos variados.

A professora Rosa continuou dizendo que apesar de falarmos línguas diferentes todos conhecemos a linguagem mútua, a língua do coração e do carinho.

O professor Ricardo acrescentou que as diferenças observadas a nível físico nos fazem especiais e formosos permitindo-nos representar a nossa cultura.

Rita uma das meninas argentinas disse:
– Afinal o que importa não é a cor da nossa pele, a nossa língua ou as nossas caraterísticas físicas, mais sim aquilo que de bom guardamos no nosso coração.

A professora Matilde respondeu:
– Exatamente Rita! O fato de sermos diferentes e convivermos reciprocamente ajuda-nos a crescer e a aprender juntos!!! Já repararam o quanto podeis ensinar??
E neste momento todos responderam em grupo com muita energia: SIM!!!

A professora Rosa continuou:
Não deveis ser racistas meninos, nem excluir-vos entre vós porque vos magoais. Todos somos iguais ainda que de lugares diferentes do globo terrestre. Sermos amigos faz-nos crescer em valor, conhecimento, cultura e enche-vos o coração.

Todos os meninos inclusive aqueles que ao início apresentavam receio compreenderam a explicação e começaram a ver que não deviam excluir ninguém somente por ser diferente, pois além de magoar a pessoa eram eles mesmo quem perdiam já que isso se tornava uma barreira à sua própria aprendizagem como ser humano.

No dia seguinte começamos a semana de atividades em que todos participávamos: aulas de dança de cada país, língua e jogos típicos! Inclusive aprendemos a cozinhar sobremesas de cada país!!!! Entre outras atividades.

Ficamos encantados com a semana de atividades e fizemos muitos amigos. Em especial eu fiz quatro amigos que guardarei para toda a vida! Yoco é japonesa e ensinou-me a escrever o meu nome na sua língua; Lua é africana e ensinou-me a dançar; Santiago é argentino… Mmmmm que sobremesas mais apetitosas ele me cozinhou com a ajuda de um adulto!!! Soraia deu-me a conhecer o seu país, a Venezuela.

Meninos não excluam ninguém somente por aquilo que pensam ou digam ou pela cor da sua pele, porque também não gostariam que vos fizessem o mesmo. Além disso perdeis oportunidades incríveis de aprender e crescer!!!

Digam “NÃO AO RACISMO” TODOS SOMOS IGUAIS!!

O Clube das Estrelinhas

https://www.facebook.com/Oclubedasestrelinhas

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments