Blog da Criança

Blog de conteúdos para crianças, jovens e adolescentes com artigos infantis e juvenis, dicas diversas e sugestões de jogos online para crianças.

Adolescentes e Pré adolescentes Crianças - Meninos e Meninas

Impor limites aos filhos

Desde pequena fui educada da forma muito carinhosa, mas também disciplinada. Uma das coisas que aprendi era a existencia das 4 palavrinhas mágicas: Obrigada, Por Favor, Com Licença e Desculpe-me! Isso sempre funcionava na minha casa, cresci com isso e hoje como pedagoga que sou e ao observar as crianças; por vezes fico um pouco surpresa. Sim, surpresa! Surpresa, porque parece-me que hoje em dia, as crianças não são mais ensinadas a darem bom dia, olá, a pedirem com licença, a dizerem por favor, e muito menos muito obrigada. O povo portugues que é tão formal em ‘palavras’ e nem tanto em atitudes, não é excessão a isso. Parece-me que o liberalismo exarcebado na educação, tem transgredido os limites do respeito pelo próximo. As crianças têm de aprender desde pequeninas, que o mundo não gira em torno delas; e principalmente que o ‘próximo’ não tem nenhuma obrigação de lhe satisfazer os desejos. Eduque seu filho(a), ensinando-o(a) as regras básicas de bom convivio em sociedade. Se a cada birra dele(a), ou a cada recusa dele(a) de se portar com educação perante outras pessoas, você aceitar e ainda dizer: ‘Ohhhh…ele(a) é assim. Tem um feitio!!!!!’ ou ‘Ela(e) sempre foi assim, desde miúda(o), tem uma personalidade forte’, você estará perdida e será dificil algum dia ter algum controle sobre a situação. Quando ele(a) estiver adolescente e você tentar impor limites, será tarde demais. Lembre-se também que educação, vem de berço, ou seja se você não der o exemplo, o que vai querer exigir?????????????

Leia: Impondo Limites aos Filhos

5 COMMENTS

  1. Discordo de vc Carla, o artigo em questão não rotula ninguem, apenas cita uma observação frequente nos dias de hj. Outro dia presenciei uma cena onde uma criança se dirigia a uma determinada pessoa obesa, a chama-la de gorda feia, e os pais nada fizeram. Tinham de te-la feito se desculpar perante a pessoa ofendida, isso sem falar no facto de que educação se dá em casa, e portanto se teve tal comportamento é pq em casa não há dialogo. Sou mãe e nem por isso uso 2 pesos e 2 medidas, so pq a criança em questão é meu filho! Educação é bom, e mantem respeito!!!!

  2. Boa tarde,
    Ate bem pouco tempo atras eu era capaz de formular uma opiniao bastante rapida em relacao a educaçao das crianças. tinha de igual forma clara o modelo que os pais deveriam seguir e o que consistia o termo “bom” pai e “mau” pai. A minha visao mudou completamente quando tive o meu filho. Conseguir ver que muitos dos conceitos, muitas das explicaçoes que recebemos na nossa formaçao (e eu sou psicologa), mudam quando quem esta em questao somos nos e os nossos filhos. O meu filho felizmente e uma criança bastante feliz e energica (sem necessariamente ter que lhe catalogar um diagnostico de hiperactivo¡), que como outra qualquer faz de vez em quando uma birra, tentando obter o que mais lhe da prazer.
    O que eu quero dizer é que nao deixo de alguma forma que o meu filho seja mal educado com os outros, contudo sei que muitas vezes e dificil controlarmos todos os seus comportamentos. So queria salientar a minha preocupaçao com a “moda” que se sente actualmente em catalogarmos as criancas e o seu risco para o futuro.
    Os meus cumprimentos

  3. Os filhos hoje e sempre foram motivo de grandes alegrias e também de algumas tristezas,a verdade é que há um dia em que nós nos deparamos com o facto de também termos filhos,o meu filho mais novo tem 14 anos sempre foi um menino muito educado,com todo o carinho e perceito,na escola é um aluno médio mas sempre teve uma relação muito boa com os professores”está de bem com a vida”é a passagem que mais se identifica com ele.Este ano escolar fez com que tudo mudá-se,acha que já é adulto,veste-se de maneira diferente,os cadernos da escola estão uma vergonha,tem respostas e atitudes irreverentes.O que faço?Obrigada

  4. sou educadora infantil da cidade de embu das artes, entrei pouco tempo na educação e estou admirada com a postura de muitos pais que deixam seus filhos na creche o dia inteiro. As crianças mostram o tempo todo o tipo de educação ou a falta dela ao se relacionarem com as outras crianças. A falta de noção, limites, direitos, deveres é gritante. A impressão que dá é que daqui alguns anos os Pais serão refens dos próprios filhos. Escolhi a “Base” educação infantil pois acredito em futuros cidadãos, no entanto, o que vejo é um trabalho solitário. Não sou de desistir, pois acredito no ser humano. Precisamos de boas atitudes no bem. Grata pela oportunidade.

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de email não será publicado.

Blogger profissional. Editora de Conteúdos Web em Língua Portuguesa. Formação Universitária em Psico-Pedagogia, com especialização em Psicologia Infantil e História da Educação. Pós Graduada em Administração Escolar.
Não copie texto!